porn videos tube600.com xpornplease.com redtube.social porn600.me porn800.me watchfreepornsex.com tube300.me
FORMÕES JAPONESES PARA MADEIRA GUIA DE INFORMAÇÕES

FORMÕES JAPONESES PARA MADEIRA GUIA DE INFORMAÇÕES

Noções básicas de cinzel japonês (NOMI)

Compreender como os formões são construídos e seus propósitos específicos ajudarão você a decidir qual cinzel melhor atenderá às suas necessidades em madeira. Aqui estão alguns princípios básicos do cinzel.

CONSTRUÇÃO

A maioria dos formões japoneses para madeira são feitos à mão ou forjados em gota e construídos de uma de duas maneiras. A maioria é feita com uma espiga – uma extensão de metal que se encaixa dentro da alça. Esses cinzéis Tang podem ou não ter um anel de metal para reforçar a área em que o tang entra na alça. Na construção do Socket Chisel, a espiga é substituída por um cone que se encaixa na alça e é firmemente acoplado (encaixado) e mantido no lugar por atrito.

AÇO LÂMINA

Ao contrário dos formões de estilo ocidental, feitos de um único aço, os formões japoneses são feitos de pelo menos dois aços. A maioria dos cinzéis japoneses combina uma camada inferior de aço de papel branco com bordas afiadas ou aço de papel azul, que foi tratada termicamente na forja com uma dureza HRC64-66 com uma camada superior de aço mais macio, como ferro forjado. Essa composição de aço duro / macio fornece à ferramenta uma aresta de corte dura e durável, com resistência a choques e a força adicional do segundo aço. O White Paper Steel é mais tipicamente usado que o Blue Paper Steel. Embora seja mais quebradiço que o Blue Paper Steel, acredita-se que o White Paper Steel crie uma borda mais nítida. Por outro lado, um Blue Paper Chisel terá adição de tungstênio e cromo, o que torna uma lâmina que mantém sua borda mais longa e é um pouco mais durável.

ESQUERDA: Esse padrão de Damasco é freqüentemente visto nos cinzéis japoneses forjados à mão pelo mestre ferreiro. A área da lâmina mostra as várias camadas de aço forjado, incluindo o aço duro embaixo que forma a aresta de corte. CENTRO: Muita atenção é dada à madeira escolhida para as pegas do cinzel, bem como à aparência dos aros. À DIREITA: Este é um bom exemplo de um cinzel com várias cavidades comum aos cinzéis japoneses.

BACKS

Para que um cinzel seja mais eficaz, a parte traseira da lâmina deve ser plana. Os cinzéis ocidentais são sempre quase completamente planos, mas os cinzéis japoneses geralmente têm áreas ocas no solo para facilitar a nitidez. A cavidade deixa menos aço extremamente duro na camada inferior a ser
removido.

Maçanetas e ganchos

A maioria dos formões japoneses tem alças de madeira, normalmente carvalho branco ou vermelho, ébano, sândalo ou buxo. Se um cinzel japonês tiver um aro, anel ou virola (sagariwa) em cima da alça, ele poderá ser atingido com um martelo. Se não houver argola, o cinzel deve ser empurrado manualmente (não atingido) e geralmente possui uma alça mais longa para facilitar esse tipo de uso. Os japoneses acreditam que o aro ajuda a impedir que o cabo de madeira se quebre durante o uso.

TIPOS DE PEÇAS E SUAS FORMAS DE LÂMINAS

Os formões japoneses são feitos para tarefas específicas na madeira, como limpar uma abertura ou aproximar-se para limpar as bordas. Para acomodar esses usos, as lâminas de cinzel têm diferentes formas e ângulos. Alguns têm lados quadrados e planos, outros têm lados angulares em relação a uma borda plana e outros afilam-se a uma borda completa (veja as ilustrações abaixo). Tipos básicos de cinzéis japoneses e seus usos são descritos abaixo.

• Cinzel de Oire – São usados ​​para a maioria das tarefas de oficina, estão disponíveis na maior variedade de larguras e geralmente têm comprimentos de lâmina entre 2 “e 3”. Geralmente, eles têm lâminas finas e vêm com um aro superior para que possam ser atingidos. Os formões Oire incluem os formões de bancada e os formões de borboleta (considerados por muitos como a forma original dos formões Oire).

• Formões Atsu – Os formões Atsu se assemelham a um cinzel de topo, mas são mais espessos e mais fortes. Estes são utilizados por carpinteiros e marceneiros para fazer grandes juntas. As lâminas geralmente são de 1/2 “a 2”, mas podem ser tão estreitas quanto 1/8 “e tão largas quanto 3-1 / 2”. Formões mais firmes e formões pós e vigas estão nesta categoria.
• Formões Mukomachi (Mortise) – Estes são formões Mortise destinados a fazer pequenos entalhes ou sulcos. A lâmina estreita tem um pescoço da mesma espessura que a aresta de corte, o que confere à lâmina a força extra necessária para cortar profundamente. A seção transversal da lâmina é de forma retangular, com um encosto oco e parte superior e bordas levemente côncavas. Essa concavidade reduz o atrito ao retirar cavacos em um encaixe estreito.
Formões e Slicks Tsuki (Paring) – Projetados para serem usados ​​com as duas mãos, esses formões de pressão são usados ​​para limpar entalhes e suavizar juntas. As lâminas são afiadas em um ângulo baixo para facilitar o emparelhamento. Os formões Saya ou Scabbard são uma forma especializada de formões Tsuki.
• Formões Kote (Craning Necked Paring) – Os formões Kote são formões de pressão, como os formões de aparar, mas com uma lâmina deslocada. Eles são usados ​​para limpar juntas longas, como juntas de caixa ou encaixe deslizante
10 FERRAMENTAS QUE NÃO PODEM FALTAR EM UMA MARCENARIA

10 FERRAMENTAS QUE NÃO PODEM FALTAR EM UMA MARCENARIA

Ter uma oficina em casa não apenas facilita para fazer seus trabalhos manuais como também funciona como espaço terapêutico, proporcionando horas de desintoxicação mental. O trabalho manual desocupa a mente de forma saudável. Sendo assim, sugerimos as 10 ferramentas que não podem faltar em uma marcenaria nesse post.

Em primeiro lugar é preciso definir qual o tipo do seu trabalho principal: móveis, pequenas peças de madeira, manutenção residencial, jardinagem? Posteriormente, podemos começar a fazer uma lista. Neste artigo focaremos no trabalho em madeira, que é parte principal do Empoeirados, e listaremos as 10 ferramentas básicas para marcenaria. Vamos lá!

1. Trena

trena de 3 metros

Você não vai precisar de uma mega trena: uma trena de 3 metros já é suficiente para o trabalho de marcenaria. Além disso, são mais leves que as trenas longas (essas últimas são mais úteis em obras e trabalhos de contrução). Um fator importante é a qualidade dessa ferramenta, para evitar o erro de medição. Por consequência, uma boa trena tem uma fita forte, que não risca facilmente e dá leitura clara e fácil, ideal para os amadores e iniciantes. Particularmente, preferimos ter uma trena que mostre apenas milímetros, pois as trenas com ambas escalas deixam a leitura mais difícil.

ATENÇÃO: As pontas de metal das trenas parecem estar soltas, mas elas são assim mesmo e têm um motivo. Veja nosso vídeo sobre ponta de trena solta e entenda a razão!

Você pode comprar sua Trena agora mesmo se quiser!

2. Réguas De Aço

régua de aço inox

Régua de Aço Inox com Gravação em Baixo Relevo

Réguas são um item indispensável, já que é a ferramenta que mais usamos, sem sombra de dúvidas. Entretanto, um ponto importante a se observar é se são feitas de metal (aço ou alumínio). As réguas de aço são fortes e permitem uma marcação muito precisa dos seus trabalhos. Por exemplo, a régua que usamos até hoje aqui na oficina era do pai do Leandro, que comprou antes dele nascer (pra se ter ideia de como pode durar muuuuuuuito mesmo, rsrsrsrs…) e ainda está em perfeitas condições.

Se puder, adquira mais de uma medida e dê preferência às réguas com acabamento acetinado (sem brilho) que são mais fáceis de ler, especialmente em ambientes internos onde as luzes refletem em muitos pontos. Aqui em nossa oficina temos de 15cm, 30cm, 50cm e 100cm. Uma ferramenta bem bacana também são as escalas de alumínio, porém é preciso ter cuidado já que ao cair da bancada podem amassar facilmente.

régua de alumínio

Régua de Alumínio com Escala Impressa

As réguas de aço inox estão à venda na Loja Empoeirados.

As melhores réguas de alumínio estão disponíveis na melhor loja de ferramentas para marcenaria do mundo! (tá, eu concordo que a humildade passou longe de mim hoje, rsrsrsrs)…

3. Graminho

Graminho fabricado aqui no Brasil com a marca do Empoeirados

Ora, um graminho? Sim, um graminho. Ferramenta básica, simples, antiga e perfeita para marcações de encaixes. Tente fazer as marcações com esquadros, lápis e réguas e depois faça com um graminho; aí me diga o que achou. Você vai perceber a diferença rapidamente. O riscador de aço já faz uma marcação precisa, fina, além de fazer um sulco para acertar o formão no começo do entalhe. Ademais, temos um tutorial bem bacana mostrando como fazer um graminho, leia também!

Em nossa loja vendemos um graminho feito em roxinho por um artesão brasileiro da gema. Vale a pena dar uma namoradinha de leve nele agora 😉

4. Malho Ou Maço De Madeira

malho de madeira

Malho, ou Macete, de Madeira

O malho de madeira é essencial para trabalho de entalhe com formão. Por ser de madeira, não vai estragar o cabo de sua ferramenta. Além do mais – e pode até parecer bobeira – o som que faz ao bater no formão é muito gostoso de ouvir! Uma pancada forte, mas com um som “amadeirado”, rsrsrsrsrs… Inegavelmente, o malho é mais útil do que parece: também deve ser usado para bater na madeira para encaixes mais apertados, ou inserir cavilhas e insertos de madeira. Um tamanho de malho médio será bastante útil em sua oficina e caso não queira comprar o seu, temos um vídeo de como fazer um malho de madeira aqui em nosso blog. Assista e divirta-se!

Olha só que maço de madeira japonês lindo! Feito em carvalho branco japonês.

5. Jogo De Formões

formão para madeira

Formões Japoneses

Indiscutivelmente um item que não pode ficar de fora. E tem que ser daqueles que permitem uma boa afiação para fazer encaixes de precisão. Certamente montar um jogo com três medidas (6, 12 e 18mm) será uma boa seleção para a maior parte dos trabalhos de encaixes. Porém escolha uma marca bacana para que possa ir montando seu kit aos poucos. Volto a repetir: formões são uma das ferramentas para marcenaria que não podem faltar de jeito nenhum em uma oficina que se preze.

Os formões japoneses também estão disponíveis em nossa loja de ferramentas para marcenaria. Visite agora!

6. Esquadro De Carpinteiro

Nosso esquadro está mais presente na bancada do que pendurado no quadro de ferramentas pois é imprescindível até mesmo para montagens de armários pré-fabricados bem alinhados. Essa é uma das ferramentas para marcenaria que tem muitas variações em suas medidas e ângulos. Se sua verba não der para comprar um bom esquadro combinado (não compre os baratinhos chineses, por favor), escolha um que possa mostrar ângulos de 90 e 45 graus.

esquadro japonês

Esquadro Japonês, Útil para Medir Altura de Serras e Fresas

Além dos esquadros de carpinteiro, existem esquadros específicos para traçados em caibros e sarrafos como os esquadros japoneses mostrado na imagem acima, cujo material de fabricação também pode variar (aço inox, alumínio, latão , etc), e atendem à praticamente todos os usos requeridos, tanto para conferir ângulos precisos quanto para medir altura das fresas em mesas de tupia.

esquadro de carpinteiro

Esquadro de Carpinteiro com 90 e 45 graus

Detalhes a ser verificados no momento da compra: verifique se a escala é gravada na régua (e não apenas impressa) para maior durabilidade; dê preferência aos feitos em aço inox; escolha boas marcas pois os que são vendidos em lojas de 1,99 são, em sua grande maioria, fora de ângulo. Outra dica importante é testar o ângulo correto do esquadro antes mesmo de comprar, e por isso fizemos um vídeo que mostrar como saber se um esquadro está no esquadro mesmo.

Conheça as variedades, preços e modelos de esquadros.

7. Riscadores

Assim como lápis e caneta, riscadores devem estar sempre à mão. Porquê? Bem, linhas feitas à lápis ou caneta em madeiras escuras não são facilmente visíveis. Além do mais, um riscador não suja o seu material com tinta ou grafite e ainda marca metais como latão, aço, alumínio, etc.

riscador

Riscador Starrett

Um uso muito útil do riscador é marcação de furos. Fazer furos alinhados sem antes fazer uma marcação é praticamente impossível. Por isso a ponta do marcador tem que ser bem “apontada” para garantir o centro preciso do pré-furo.

Compre agora o seu riscador

8. Plaina

plaina japonesa

Plaina Japonesa

São ferramentas ótimas para desbastes limpos, alinhamentos de laterais de tábuas, chanfros retos ou redondos e remoção de marcas de serras. Existem diversos modelos disponíveis no mercado que atendem à todos os bolsos e fins, sendo que as plainas japonesas de madeira são uma das mais confiáveis. São simples de usar, ajustar e afiar e devem fazer parte de qualquer oficina.

Preços e modelos de plainas japonesas podem ser vistos na Loja Empoeirados!

9. Grampos

Grampos são a terceira mão de um marceneiro e do hobbista básico. Os grampos servem para segurar as peças no lugar certo para colagem, corte, marcações, etc. Os grampos mais simples, conhecidos como grampos “C” ou sargento são bastante úteis e têm preço bem acessível. Por isso dizemos que grampos nunca serão suficientes! A cada compra de uma nova ferramenta, compro também um grampo.

grampo de aperto rápido

Grampos de Aperto Rápido Permitem Trabalhar com Apenas uma Mâo

Se sua verba der, compensa comprar os grampos de aperto rápido. Entre as várias vantagens desses grampos, destaco a possibilidade de se trabalhar com apenas uma mão para apertar o grampo. Além disso, alguns modelos permitem inverter a posição da cabeça para que ele funcione também como um “macaco” simples, que é muito útil para descolar peças de madeira, ou para pressão de colagem invertida, como no interior de caixas por exemplo.

Existem muitos modelos de grampos de aperto rápido disponíveis. Conheça alguns agora mesmo!

10. Serras, Serras, Serraaaaaas!!!

Sim, sim, sim… somos loucos por serras. Temos várias, de diversos tamanhos e dentições, para funções variadas e materiais diferentes. Temos para corte de bambu, cortes cruzados, cortes em ripa, cortes de precisão, cortes de luthier e encaixes. E somos fãs dos serrotes japoneses justamente pela variedade que esse mercado oferece. É incrível como a gente chora depois de experimentar um serrote japonês… anos apanhando dos serrotes ocidentais e quando pegamos um serrote japonês pela primeira vez é um alívio.

serrote ryoba

Serrote Ryoba para Cortes Cruzados ou de Ripa

O acabamento então, nem se fala, já que madeiras duras não precisam nem ser lixadas (de verdade!). Cortam como manteiga e cansam menos. Uma das diferenças gritantes é o sentido do corte, já que ele corta no sentido de puxar e não empurrar, e como resultado a probabilidade de torção da lâmina é bastante baixa. E esse sentido de corte permite a fabricação de lâminas bem mais finas que os tradicionais serrotes de carpinteiro.

serrote dozuki

Serrote Dozuki para Cortes de Precisão

Ideiais Para Trabalhos De Precisão

Ah, trabalhos como encaixe tipo rabo de andorinha ficam perfeitos depois que se pratica com esses serrotes. Para resumir esse tópico, o ideal é ter um Ryoba e um Dozuki (serrote de costa). Assim você terá opções de corte para quase todo tipo de trabalho em madeira. Uma observação: o serrote Ryoba tem dentes dos dois lados da lâmina. De um lado temos dentes mais finos para cortes cruzados (perpendiculares ao veio da madeira); do outro lado temos dentes maiores para cortes de ripa (no sentido do veio da madeira).

Mas se não acredita na gente, ainda assim é bom ter pelo menos dois serrotes básicos em sua oficina: o serrote de carpinteiro de lâmina com uns 30cm e um serrote de costa para fazer encaixes e cortes mais precisos. Com essas duas ferramentas estará bem servido!

Conheça agora mesmo os serrotes japoneses disponíveis em nossa loja virtual. ATENÇÃO: não nos responsabilizamos se você acabar viciando nessas jóias, rsrsrs…

Espero que esse artigo ajude a escolher suas ferramentas para marcenaria e lembre-se: ferramentas de qualidade são importantes para um trabalho bem feito e, principalmente, pela segurança que oferecem.

 

Fonte: https://empoeirados.com.br/episodios/ferramentas-maquinas-acessorios/10-ferramentas-que-nao-podem-faltar-na-marcenaria/

 Veja Aqui Como escolher os Melhores Tipos de serra

 Veja Aqui Como escolher os Melhores Tipos de serra

As serras estão em uso há milhares de anos, ramificando-se para preencher nichos específicos como os tempos, a tecnologia e os materiais necessários. A coleção de ferramentas “completa” de hoje incluirá uma variedade de serras, serras de corte, serras de qualquer número, serras de mesa especializadas e, às vezes, inclui mais de uma serra de um determinado tipo.

Existem muitas ferramentas de corte especializadas, mas elas não são comumente usadas fora dos negócios para os quais foram desenvolvidas. Além disso, você pode se surpreender ao descobrir que muitas serras são chamadas regionalmente pelo nome de outras serras. Na maioria dos casos, a forma da serra mais a contagem e a forma dos dentes determinarão como uma serra deve ser usada.

Serra de Arco

Esse tipo de serra de corte transversal, a serra de arco é mais em casa ao ar livre do que no interior. Ele usa uma lâmina relativamente longa com vários dentes cruzados projetados para remover o material enquanto empurra e puxa. Serras de arco são usadas para cortar árvores, podar e cortar toras, mas também podem ser usadas para outros cortes brutos.

 

Serra Japonesa

Construído com uma única alça e uma lâmina de corte fina e protuberante, este tipo de serra é mais preciso do que uma serra traseira e tem a vantagem de poder alcançar lugares onde outras serras não podem alcançar. As serras estão disponíveis em três tipos (dozuki, ryoba e kataba) e podem ser usadas para cortar madeiras duras e macias com igual precisão.

Serra de poda


Serras de poda na maioria das vezes têm uma lâmina curva de 13-15 “, projetando-se de uma única alça de estilo de” punho de pistola “. A lâmina é larga e tem dentes grossos que são capazes de cortar em ambas as direções para remoção mais rápida de material. Serras de poda são mais comumente encontradas no kit de ferramentas de um proprietário, mas elas também são amplamente usadas por cirurgiões de árvores, serviços de gramado e paisagistas.

 

Serra de parede


Parecendo muito semelhante a uma serra de buraco de fechadura, a serra de parede geralmente tem uma lâmina menor e mais larga e menos dentes por polegada e geralmente vem em uma variedade de borda dupla. Ele é projetado para perfurar painéis ou placas de gesso e é frequentemente usado para criar furos de partida para ferramentas elétricas.

Tipos de Serras elétricas

Em vez de simplesmente duplicar várias serras de mão, as motosserras evoluíram para preencher seus próprios nichos. Por exemplo, uma serra de braço radial expande as capacidades de uma serra de esquadria e serra circular, mas também não duplica diretamente. As serras elétricas vêm em três categorias principais: Banda Contínua, Lâmina Recíproca e Lâmina Circular.

 

Serra de fita (estacionária)

 

Esta serra alta de chão usa polias grandes acima e abaixo da mesa de corte para mover uma faixa contínua com dentes finos para cortar a maioria dos materiais. As serras de fita são perfeitas para cortes intrincados de curvas em madeira, bem como tubos de corte, tubulações e PVC, mas são limitados a uma profundidade de apenas alguns centímetros.

 

Serra de fita (portátil)

Uma pequena versão da serra de fita portátil de unidade estacionária, ela pode realizar a maioria dos mesmos trabalhos que seu irmão mais velho com a portabilidade para poder levar a um canteiro de obras ou à garagem de outra pessoa. Você está, é claro, mais limitado quanto ao que pode cortar (normalmente até 3 a 4 tubos de diâmetro) e exige mais esforço para fazer cortes retos, mas pode ser uma ferramenta inestimável, especialmente para encanadores, soldadores e metalúrgicos.

 

MotoSerra

Como o nome indica, uma motosserra usa uma corrente ligada com numerosos dentes de rasgar especialmente projetados. Embora as motosserras sejam projetadas exclusivamente, elas caem na categoria de serras de fita. Motosserras são mais comumente usadas no trabalho de árvores do que qualquer outro campo, e podem ser essenciais para os proprietários, dependendo da sua região.

 

Serra circular

Às vezes referido como uma serra circular ou pelo nome popular da marca Skilsaw, as serras circulares usam uma lâmina dentada, normalmente entre 7 e 9 polegadas de diâmetro. Eles são o tipo mais comum de serras elétricas e aceitam lâminas que cortam todos os tipos de madeira, metal, plástico, alvenaria e muito mais.

 

Serra de Esquadria Composta

Serras de esquadrilha compostas são usadas para fazer cortes retos, mitra e compostos. Em vez de girar para cima e para baixo do modo como uma serra de esquadria corta, a lâmina é montada em um braço que pode ser ajustado para ângulos complexos, incluindo cortes para trabalhos complexos de rolagem e acabamento.
A serra de esquadria composta é um dos melhores economizadores de tempo quando você precisa aparar janelas ou adicionar molduras de coroa.

 

Serra tico-tico

Esta serra de mão possui uma lâmina curta e de dentes finos que se move para cima e para baixo em velocidades variáveis. Esta é uma das poucas serras projetadas especificamente para o corte de curvas e outras linhas não retas. Procure um quebra-cabeça com um cabo longo ou até mesmo uma opção sem fio (bateria).

 

Serra de mesa

Lâminas de serra de mesa tendem a ser um pouco maiores do que para uma serra circular e consistem em um motor de alta velocidade montado sob uma mesa plana. Para ajustar a profundidade de corte, as lâminas sobem do leito da mesa. Serras de mesa são ótimas para fazer vários cortes de rasgo ou preparar um grande número de peças de tamanho idêntico.

As serras de mesa aceitam lâminas de metal e alvenaria, mas tome cuidado para que o design da lâmina corresponda à rotação do motor.

 

FONTE: https://comofazereumesmomoveis.com/tipos-de-serra-para-marcenaria/